All fields are required.

Close Appointment form

Trilogia da Dor

Enxaquecas, Mialgias e Artralgias nos Atletas

 

 Desde os tempos mais remotos que os atletas sofrem de lesões, por vezes espontâneas e inexplicáveis.

O nosso corpo funciona como um todo, quando há uma anomalia funcional num órgão ou sistema repercute-se em todo ele.

Atentos às dismorfias funcionais da ARTICULAÇÃO TEMPORO MANDIBULAR e aos desequilíbrios posturais, podemos encontrar algumas explicações que antes nos eram desconhecidas.

Além de outras patologias que poderão provocar as lesões musculares, articulares e coluna vertebral, nos seres humanos e mais frequentes nos atletas, podemos confirmar que a disfunção da ATM por distúrbios oclusais são a principal causa das lesões que antes eram inexplicáveis.

A perda prematura dos dentes, nomeadamente o primeiro molar inferior, em estudos realizados no Instituto de Oclusão e Reabilitação Funcional em Lisboa, em 80% dos casos apresentam patologia da ATM. Esta patologia deve-se ao facto dos dentes antagonistas e contíguos se movimentarem para ocupar espaço.

O dente do siso, normalmente com pouco espaço para erupcionar, mesialização o segundo molar inclinando-o para o espaço provocando pontos de contacto prematuros. Do lado oposto o segundo pré-molar inicia também a distalização limitando a possibilidade de reabilitar a perda do dente normalmente.

A sintomatologia revela-se com desequilíbrio postural, ressaltos, crepitações e cliques da ATM com contactos prematuros na oclusão.

Esta patologia a que em medicina dentária designamos Síndrome Patológico da ATM, será mais difícil de tratar quanto mais tempo o paciente tardar em reabilitar.

Em adultos a colocação imediata de um implante, na hora da extracção, será o tratamento mais aconselhado.

Nas crianças a colocação de aparelhos espaçadores e mantedores de espaço será o mais ajustado enquanto não terminar o crescimento ou haja condições para reabilitação.

É o próprio paciente que normalmente nos refere o lado do contacto prematuro. Quando o médico dentista observa e faz o diagnóstico o primeiro passo é solicitar ao paciente que aproxime as arcadas superior da inferior, sem pressionar os dentes, e que faça repetidamente ao de leve pequenos toques com as arcadas. Com a interposição de um químico que fica marcado no dente ou dentes com contacto prematuro quando fecha a boca, identificam-se os pontos em questão.

O segundo exame é o médico dentista que, com movimentos consertados de elevação de braços vai detectar no alongamento dos mesmos a diferença de comprimento, em caso de patologia um braço apresenta-se mais longo. Estes testes deverão ser efectuados por médico dentista especializado em oclusão.

O terceiro exame repete com as pernas que concomitantemente vai confirmar a mesma anomalia.

De seguida faz o exame de convergência ocular e examina os óculos, se for portador.

Nestes casos referimo-nos às anomalias de convergência ocular. Se o paciente apresentar divergência no teste que se executa necessita de exame oftalmológico cuidado.

Não raras as vezes se ouve dizer que “andava com tonturas fui ao oftalmologista, mudei de óculos e passaram”.

Outras das situações que afectam o equilíbrio postural são os portadores de pulseiras com metais de diferentes materiais. Uma simples pulseira, por vezes de muita estimação e valor emocional, é a causa do desequilíbrio postural que o médico dentista em teste presencial sabe distinguir.

Há situações em que são usadas palmilhas de compensação para aliviar a anca e o andamento. Se houver disfunção da ATM poderá aliviar, em parte, a anca e o andamento mas nunca a origem da patologia.

Num atleta de alta competição ou mesmo num praticante de desporto, as lesões musculares, articulares e coluna são frequentes devido a desvios posturais. Se atendermos ao brutal esforço a que os músculos, articulações e coluna são submetidos podemos afirmar que, se não houver bom equilíbrio postural dificilmente um atleta não terá rotura de ligamentos, aponevrites e meniscopatias.

Estas anomalias poderão ser em parte tratadas por uma equipa médica onde o médico dentista, oftalmologista e osteopata são indispensáveis para diagnosticar outras anomalias graves de oclusão, nomeadamente no prognatismo, distopias dentárias e mordidas cruzadas que são frequentemente causas de distúrbios e patologias da ATM.

 A audição é severamente afectada com ruídos, tinitus, desequilíbrios cocleares, enjoos e por vezes dificuldade da marcha.

 

TRATAMENTO

 

Atendendo a que a falta de um dente afecta toda a oclusão, o tratamento deverá iniciar, se possível, com substituição da peça dentária perdida.

Poderá ser feita com prótese removível, fixa ou implante. Por conforto, durabilidade e fiabilidade o implante deverá ser o tratamento de eleição.

Casos há em que a ortodontia poderá ser uma opção direccionando ortodônticamente os dentes colaterais para o espaço.

A prótese removível, pouco usual para um só dente, poderá acarretar a perda dos outros dentes pelo suporte de ganchos de contenção e retenção. Além destes inconvenientes há o perigo de se “embrulhar” com os alimentos podendo constituir perigo de vida para o portador, ficando retida na garganta.

A prótese fixa, dispondo de alternativas como próteses adesivas com blocos de apoio ou coroas nos dentes adjacentes formando “uma ponte”. Esta opção tem o inconveniente da utilização de dentes por vezes saudáveis que com o tempo se poderão deteriorar por infiltração de cáries.

Em relação ao tratamento da ATM, a colocação de um aparelho denominado por GOTEIRA OCLUSAL colocada na arcada inferior é o tratamento electivo. Este terá uma função estabilizadora, por vezes com recuperação do menisco articular causador dos cliques e ruídos articulares.

A goteira, indubitavelmente, terá de ser colocada pelo médico especialista que saberá fazer os acertos e equilibrar o seu funcionamento. Uma goteira desequilibrada poderá agravar o síndrome ATM. A vigilância e ajuste periodicamente pelo médico dentista são imprescindíveis.

O desgaste, em caso de bruxismo, não compensado, poderá em pouco tempo recidivar os sintomas.

Normalmente, salvo em situações extremas, a goteira é colocada pelo período nocturno ou nos primeiros meses 24 sobre 24 horas.

A reabilitação oclusão deverá iniciar-se no princípio do tratamento oclusão.

O organismo é um todo em funcionamento, o equilíbrio de todos os órgãos são o fiel da balança que nos dá saúde e tranquilidade na vida.

 

Olívio Dias

Médico Dentista

Www.clinicasmedicasoliviodias.pt